Reading:
A matemática simples das marcas virais!

Image

A matemática simples das marcas virais!

by Jova
Abril 10, 2018

Uma marca faz sucesso porque as pessoas falam bem ou as pessoas falam bem porque a marca faz sucesso?

 

Antes de quebrar a cabeça tentando adivinhar se o ovo veio primeiro que a galinha, quero que você foque na certeza inquestionável da frase a seguir:

 

A característica principal de um produto ou serviço vencedor está no seu potencial de ser mencionado pelas pessoas de forma espontânea.

 

Faça uso do marketing viral, amigo.

 

Ei, não comece a chorar ainda pensando que essa estratégia está muito além da capacidade da sua pequena empresa, tudo bem?

 

Existem alguns preconceitos comuns que impedem muitos empreendedores de considerar essa possibilidade.

 

Primeiro, a viralidade nem sempre surge ao acaso. Na maioria das vezes ela está relacionada a uma ideia muito inusitada e bem planejada.

 

Ou seja, ela pode ser pensada para impulsionar o boca a boca a favor de uma marca.

 

Segundo, a viralidade planejada não surge da noite para o dia.

 

Você deve adotar uma postura de tentativa e erro. Quem tenta mais vezes, estatisticamente têm mais chances de conseguir sucesso.

 

Terceiro, você deve medir o sucesso de um conteúdo viral de acordo com seu potencial de atingir as pessoas certas e aumentar os resultados da sua marca.

 

Tudo bem, seria ótimo se o mundo inteiro estivesse falando do seu produto. Mas é muito mais fácil fazer com que a mensagem seja compartilhada para um número menor e mais direcionado de pessoas, não é?

 

Está convencido de que você pode tentar fabricar a viralidade da sua marca mas não faz a menor ideia de como começar?

 

Seja diferente + Seja legal = As pessoas falarão de você

 

Ainda não faz sentido, né? Continue lendo esse artigo para aprender os princípios da gestão de marca com foco em marketing viral! 😉

 

 

Seja uma marca diferentona

 

Essa parte é simples. Você deve ser notado, mas se a sua marca não tiver um diferencial claro, isso não acontecerá facilmente.

 

Para construir uma marca viral, você deve ter em mente que ela precisa flertar com o inusitado.

 

As pessoas precisam olhar para sua empresa, sorrir e dizer: “nossa, legal”

 

Se coloque no lugar dos clientes que visitam seu site. Você acha que eles encontrariam alguma informação digna de ser mencionada para um conhecido?

 

Aí vão alguns exemplos de reações positivas:

 

  • “Nossa, uma loja de violão para canhotos”
  • “Posso montar minha própria bolsa nesse site. Adorei”
  • “Essa loja de roupas para doguinhos é tão fofinha.”

 

Dê informação para as pessoas compartilharem com amigos. Acredite, elas se coçando para fazer isso, mas precisam do seu incentivo.

 

Tenha em mente que o maior inimigo do branding é o senso comum.

 

Veja bem, vivemos em uma era de excesso de informação. Barulho demais. Mensagens demais. E claro, opções de compra demais.

 

Somado a isso, precisamos considerar o fato de que marcas menores geralmente participam de um jogo viciante de seguir a marca mais famosa do mercado.

 

Isso faz com que a maioria das opções pareçam minions. Todos amarelos e idênticos.

 

O cérebro humano é como uma esponja que só absorve as informações com potencial de chamar sua atenção, o resto vai para o lixo.

 

Se você não for diferente, é isso que vai acontecer.

 

Leve em conta que o líder já é a primeira opção de compra. Você não pode usar os brinquedos do playground dele.

 

Solução? Monte o seu!

 

Olhe para o padrão do mercado que você atua e tente quebrá-lo em 1000 pedacinhos. Busque diferenciação radical. Se todos fazem zig, você deve fazer zag!

 

A diferenciação está totalmente ligada a primeira impressão que sua marca causa.

 

Aí vão algumas perguntas que você pode fazer para descobrir se a sua marca é manjada.

 

Responda com sinceridade. Reconhecer que seu trabalho precisa melhorar é a maior característica de uma empresa de sucesso.

 

  • Sua identidade visual é amadora? Você namoraria com ela se fosse uma pessoa?Ou você fez sua logo por conta própria, mesmo sem ser um designer, para reduzir custos?
  • Você é um vendedor chato ou entrega valor? Sua marca fala alguma coisa que não seja vender?Olhe para suas redes sociais, tem conteúdo de qualidade ou só fotos de produtos?

 

 

Seja uma marca legalzona

 

 

O cérebro é uma esponja que só absorve o que é relevante. ok. Mas as esponjas não retém água para sempre.

 

Mas e se ao invés de absorver água, essa esponja absorvesse tinta preta?

 

Sim, ela ficará marcada para sempre. Agora que você já é notado, foque em ser lembrado.

 

Você deve marcar as pessoas, como a tinha marca a esponja. Dar a elas uma lembrança positiva que jamais esquecerão.

 

Elas não se apaixonam por produtos ou serviços e sim pelas experiências que vivem ao interagir com eles.

 

Dificilmente as pessoas se lembrarão daquele almoço no self service de quarta feira passada. Mas aquele jantar especial com a namorada no restaurante mexicano marcará tanto que elas vão querer até compartilhar com os amigos.

 

Lembre-se; a experiência que uma marca oferece é diretamente proporcional a sua performance de vendas e seu potencial de ser indicado para outras pessoas.

 

Fiquei sabendo que uma loja de departamento americana chamada Nordstrom criou o seguinte cargo: “engenheiro de histórias”.

 

Esse profissional tinha a função de identificar todas as oportunidades de contato entre a empresa e cliente para planejar uma narrativa em cada um deles estimularia uma experiência positiva.

 

Coloque-se no lugar do seu comprador por um dia. Qual é o caminho ele percorre desde a descoberta da sua empresa até a compra do produto?

 

Crie um mapa e insira todos os pontos de interação entre as pessoas e sua marca para imaginar como você pode surpreender com um momento “WOW” em cada etapa.

 

Uma pessoa que morou sua vida toda no deserto ao ver o mar pela primeira vez, ficará maravilhada. Esse é o momento “WOW”.

 

Comece aos poucos. imagine dois pontos contato importantes na experiência de compra do seu cliente e pense em como poderia entregar um momento “WOW’. Mas faça isso o mais rápido possível partindo dessas duas premissas.

 

  • Reduza os medos, incertezas e dúvidas; eles são os maiores inimigos da credibilidade da sua marca e estão reduzindo drasticamente as suas vendas. Seu cliente deve estar no controle e você facilitar para que ele encontre tudo que precisa.
  • Supere as expectativas; Já tem marcas comuns demais no mundo, não é? Saia do feijão com arroz, as pessoas querem lasanha. Querem contar histórias sobre o que já passaram. Pense em como sua marca pode protagonizar uma dessas histórias, que tal?

 

 

Viralize e colha os resultados.

 

 

Somos criaturas sociais. Compartilhar a vida com outras pessoas é algo que valorizamos muito. Por isso sempre buscaremos maneiras fortalecer as relações ao nosso redor.

 

Assim como Forrest Gump, adoramos contar uma boa história que transmita um conhecimento, ideia ou lembrança aos outros.

 

Fazemos isto para passar uma mensagem sobre quem somos e reforçar nossa personalidade.

 

A lógica matemática por trás da viralização é simples. Seja diferente + Seja legal = as pessoas falarão de você.

 

Não tem anúncio no facebook ou google mais eficiente que o poder do boca a boca.

 

A opinião de amigos, vizinhos ou colegas têm grande peso sobre opiniões que formamos e decisões que tomamos. (inclusive as de compra)

 

Abrace essa ideia e lute para transformá-la em uma grande oportunidade para sua marca; conseguir mídia espontânea e gratuita.

 

Ainda está perdido? Tudo bem, ainda tem mais e essa é certamente a cereja do bolo.

 

Você pode usar alguns princípios de marketing viral como ponto de partida para construção da sua mensagem.

 

Princípio #1: Moeda social.

 

Tem a ver com a impressão que uma pessoa causa ao compartilhar determinada informação com outra. Como ela cria valor para sua imagem pessoa ao contar uma história que a faça parecer mais inteligente, interessante ou experiente?

 

Você deve construir uma mensagem partindo da ideia de que quando alguém falar dos seus produtos, passará uma impressão positiva sobre quem ela é.

 

Princípio #2: Gatilho.

 

Conquiste uma palavra. Crie uma associação poderosa com algum termo.

 

Esteja na ponta da língua. Seja líder.

 

Em um mundo ideal, você deveria conquistar uma palavra muito usada no dia a dia, para que elas sirvam como gatilho para trazer a lembrança da sua marca.

 

Entretanto as palavras mais comuns já tem dono, certo?

 

Se você criar uma marca usando os princípios de diferenciação que apresento aqui, será mais fácil encontrar termo de nicho alinhados com o objetivo da sua empresa.

 

 

Princípio #3: Emoção.

 

Quando nos importamos, compartilhamos. Por isso você deve construir uma mensagem que desperte algo nas pessoas.

 

Estimule um sentimento que deixe as pessoas agitadas ou entusiasmadas.

 

Você pode usar o humor para fazer as pessoas se sentirem felizes. O inusitado para deixá-las surpresas. A motivação para deixá-las empolgadas.

 

Princípio #4: Público.

 

Lembra quando perguntei se as marcas de sucesso vendem porque todos compram ou todos compram porque vende muito?

 

É o famoso “efeito manada”. Quanto mais um grupo de pessoas estiver fazendo algo, mais pessoas se fora estarão inclinadas a repetir o ato.

 

Experimente parar no meio da rua e ficar dois minutos olhando para o céu. É sério, as pessoas vão passar e olhar junto com você.

 

Mostre quem está usando sua marca nas redes sociais. Faça parcerias com blogueiros que possam falar bem de você.

 

Barulho atrai barulho, como abelhas atraem abelhas.

 

Princípio #5: Valor Prático.

 

Seja simplesmente útil. As pessoas têm problemas e buscam resolvê-los

 

Você pode ser a solução. Ofereça valor prático e imediato aos seus clientes.

 

Aí vai um exemplo prático sobre como sua marca será falada.

 

“Meu Iphone descarregava muito rápido, então comprei um carregador portátil da marca XYZ. Estou plenamente satisfeito. Uhuu!”

Princípio #6: História.

 

Contar uma história é a forma mais poderosa de transmitir uma ideia.

 

As histórias atravessam gerações, estimulam o imaginário, constroem a mágica.

 

Qual é a história que a sua marca pode contar sobre seu produto?

 

Se ela for boa e verdadeira, ela será contada por aí. Não tenha dúvidas.

 

Sabendo que as pessoas querem ter ótimas experiências em suas vidas e contar aos outros sobre isso, você deve tomar uma importante decisão agora!

 

Onde você quer que sua marca esteja?

 

Por trás de ótimas lembranças que serão compartilhadas com entusiasmo em rodas de conversa ou no lixão das memórias esquecidas por serem comuns demais e indignas de uma menção?



0 Comments

Deixe uma resposta

Related Stories

Dezembro 18, 2017

Os 5 tipos de marcas que ninguém se importa

by
Arrow-up